21
Anos
Brasil

Perguntas frequentes

Voltar

1.   O que é a causa-raiz?

2.   A causa-raiz é um trauma?

3.   E se eu não me lembrar da causa-raiz?

4.   Eu não consigo ter imagens mentais. Isso impediria a terapia?

5.   Porque a TLT não é uma terapia de regressão?

6.   O que significa ser uma terapia de processo?

7.   A TLT é hipnose?

8.   Quando se neutraliza uma emoção significa que a pessoa nunca mais sentirá aquela emoção?

9.   Quando se reestruturam as emoções a pessoa não fica insensível, fria?

10.  Como ficam as memórias depois que uma causa-raiz é tratada? Como você sabe que houve a mudança?

11.  Como passa a reagir alguém que tem suas emoções tratadas pela TLT?

12.  Depois de tratadas as emoções, não se criam causas-raízes novas com as próximas experiências da vida?

13.  Como é um tratamento de traumas com a TLT?

14.  Como é o tratamento de crenças empobrecedoras e outras dificuldades?

15.  A TLT é aplicável em crianças?

16.  Como encontro um terapeuta formado em TLT para um atendimento?

17.  Porque é necessária a formação em Programação Neurolinguística para a formação em TLT?

18. Como faço uma formação em PNL para me preparar para a formação em TLT? Que outros requisitos existem?

19. Se eu tiver outras dúvidas, como posso obter respostas?

1.  O que é a causa-raiz? A causa-raiz é uma representação na sua mente de um evento que foi o primeiro em que uma emoção foi vivida ou foi estabelecida a primeira abertura para um problema. Esse evento é tal que antes dele não havia nenhuma experiência da emoção ou de origem do problema. É o primeiro momento na vida de alguém em que se forma o caminho cerebral para as experiências repetitivas da vida, incluindo as experiências dolorosas e traumáticas. A resolução, reestruturação ou solução desse evento transforma todos os demais acontecimentos da vida que mantinham alguma relação com ele.

2.  A causa-raiz é um trauma? Na TLT partimos da descoberta de que os problemas pessoais nascem de causas-raízes e não de traumas vividos. As causas-raízes não são experiências traumáticas. A experiência terapêutica mostrou que causas-raízes são acontecimentos pequenos, com pouca intensidade emocional. Sua importância se torna grande por serem as causas raízes os momentos em que se formam  no cérebro as redes neurais, que vão ser repetidamente utilizadas no futuro diante de situações semelhantes ou a elas relacionadas. Os traumas na vida possuem causas-raízes que lhe são anteriores.

3.  E se eu não me lembrar da causa-raiz? Na realidade, por serem emocionalmente bem pouco intensas, ninguém tem lembrança de suas causas-raízes. Se alguém diz que se lembra, a experiência mostra que essa memória não será uma causa-raiz. As causas-raízes são conhecidas apenas quando elas são acessadas durante a terapia.

4.  Eu não consigo ter imagens mentais. Isso impediria a terapia? Na TLT não buscamos necessariamente memórias no sentido visual da palavra. Cerca de metade das pessoas durante o processo terapêutico não obtém imagens de memórias ou da causa-raiz e isso não faz diferença nos resultados. Os processos utilizados e mais os comentários na pergunta abaixo (nº 5) fazem com que não seja importante a percepção visual de uma cena ou de um fato na causa-raiz. Devido à sua abordagem de processo, a TLT não necessita nem se utiliza da visualização ou da memória consciente de eventos.

5. Porque a TLT não é uma terapia de regressão?  A regressão é um fenômeno natural nas pessoas. Ocorre todas as vezes que você em sua mente volta ao passado e revive momentos ocorridos, tenham eles sido momentos bons ou momentos desconfortáveis. E isso pode acontecer algumas vezes ao dia, como nos seus momentos de devaneio ou de recordação. Terapias que usam essa capacidade natural do cérebro são conhecidas como terapias de regressão. Nessas terapias geralmente uma pessoa retorna mentalmente a experiências vividas, dolorosas e traumáticas. O propósito é  revisitá-las e atuar diretamente sobre elas para, através de processos especiais, reformá-las e transformá-las em memórias não dolorosas. Na TLT, por ser uma terapia de processo (veja a pergunta abaixo), os conteúdos das memórias não são importantes. A TLT não busca encontrar a história pessoal nem fatos emocionais intensos e traumas, mas sim a reestruturação emocional usando o conceito de causa-raiz. Encontrando a causa-raiz, com os procedimentos utilizados ela é reestruturada em seus significados sem sua revivência ou reexperimentação, mesmo que a pessoa não tenha uma visualização do que está ocorrendo nesse evento (veja a pergunta 4). Por isso a TLT não é uma terapia de regressão.

6.  O que significa ser uma terapia de processo? Numa terapia de processo o terapeuta não atua com base na história do cliente, não busca “porquês” nem faz a interpretação dos fatos da vida. Numa terapia de processo o foco do terapeuta é  compreender e atuar sobre como uma pessoa constrói internamente seus estados negativos ou enfraquecedores. Fazendo uma analogia, é como se o terapeuta atuasse na programação do “computador psicobiológico” que a pessoa usa para processar sua vida e suas experiências. O terapeuta de TLT tem seu foco na estrutura mental que seu cliente usa para criar suas dificuldades. O próprio cliente, que tem a ciência do que deseja na vida e de como deseja estar em relação à sua situação, guia a intervenção do terapeuta. A terapia permite desenvolver uma nova maneira de reagir naturalmente e sem nenhum esforço, não mais seguindo o modo desfavorável que ele utilizava anteriormente.

7. A TLT é hipnose? No tratamento hipnótico clássico o terapeuta conduz a pessoa a um estado especial de alta receptividade, conhecido como estado hipnótico, e se vale de sugestões para originar as mudanças pessoais. Na TLT não se induz qualquer estado emocional especial e não há sugestões. As pessoas entram num relaxamento natural porque voltam sua atenção para se concentrarem em seus pensamentos e experiências internas. Durante esse estado estão naturalmente conscientes e conversam com o terapeuta fornecendo informações necessárias para a realização das mudanças pessoais. Podem interferir a qualquer momento e, por estarem acordadas, lembram-se e têm controle sobre o que acontece durante todo o processo.

8. Quando se neutraliza uma emoção significa que a pessoa nunca mais sentirá aquela emoção? O ser humano é naturalmente um ser emocional. As emoções são necessárias para orientar suas reações a cada momento da vida, indicando se o que está acontecendo é algo fortalecedor de sua vida ou algo ameaçador, ao mesmo tempo em que prepara o corpo para lidar com a situação. O que a TLT faz é reprocessar o acúmulo de emoções negativas devidas às experiências de vida não resolvidas satisfatoriamente. Ao eliminar esse acúmulo pela reestruturação da causa-raiz, a pessoa fica livre para expressar suas emoções de maneira natural. Não mais expressa com a intensidade desconfortável ou com a frequência desagradável de antes ao se deixar dominar por elas. A pessoa passa a viver de modo natural suas reações emocionais e não mais influenciada por experiências antigas e negativas.

9. Quando se reestruturam as emoções a pessoa não fica insensível, fria? As emoções que são tratadas com a TLT são apenas as emoções substitutas, aquelas que não são as emoções naturais ou fundamentais (veja o artigo “A organização das emoções” na página Mídias). Sua capacidade de sentir tristeza com perdas verdadeiras e significativas, sentir raiva com invasões de seu território físico ou moral, medo diante de ameaças concretas, alegria diante de situações felizes e prazer em momentos agradáveis, ficará intacta. Além disso, a experiência mostrou que quando se neutraliza e história emocional negativa, cada indivíduo aumenta sua capacidade de sentir as emoções agradáveis – amor, alegria e prazer.  Aumenta também o despertar dos estados emocionais criativos e fortalecedores como determinação, autoconfiança, criatividade, persistência, afetividade e tantos outros.

10. Como ficam as memórias depois que uma causa-raiz é tratada? Como você sabe que houve a mudança? Após a liberação emocional da causa-raiz de uma emoção, todas as memórias pessoais que tinham aquela mesma emoção passam a ser lembradas de maneiras diferentes. Ou a memória fica na lembrança como se os eventos tivessem acontecido de uma forma totalmente satisfatória, ou permanece o conhecimento de como aconteceu historicamente, porém sem a presença das emoções antigas – pode ficar a mesma cena sem emoções, como um fato neutro e superado. Ocasionalmente a pessoa pode manter as duas formas de memória.

11. Como passa a reagir alguém que tem suas emoções tratadas pela TLT? Existem várias reações típicas. Uma reação é como se a pessoa tivesse muito maior controle emocional, sendo, no entanto, esse controle uma condição natural, saudável e sem esforço – não um controle no sentido de supressão de sentimentos. Exemplos: ficar tranquilo diante de situações que antes geravam irritação, ficar natural e afirmativo em situações que antes o assustavam ou traziam culpa ou em um estado fortalecedor em situações que traziam tristeza, melancolia ou mágoa. A reação mais comum é lembrar-se de experiências anteriores negativas como situações já resolvidas na vida. Ao eliminar as reações emocionais disfuncionais e automáticas, a pessoa experimenta também uma intensidade maior de sentimentos positivos que passam a ocupar o “espaço” antes ocupado pelas reações emocionais disfuncionais e sem controle. As pessoas experimentam maior equilíbrio e capacidade de recuperação emocional muito rápida. Como disse uma adolescente, “Quando acontecia uma situação ruim, antes eu ficava triste por três meses; agora fico só três minutos”.

12. Depois de tratadas as emoções, não se criam causas-raízes novas com as próximas experiências da vida? Após o tratamento com a TLT muito raramente podem surgir causas-raízes de emoções novas. Essa eventualidade poderá acontecer apenas com a ocorrência de experiências muito traumáticas.

13. Como é um tratamento de traumas com a TLT? O tratamento de traumas com a TLT se faz com as causas-raízes deles. Não há necessidade de focalizar a experiência dolorosa nem de revivê-la. Como as causas-raízes são experiências emocionalmente pouco intensas, o tratamento de traumas é indolor e com frequência muito rápido.

14. Como é a mudança de crenças empobrecedoras e outras dificuldades? Crenças empobrecedoras, comportamentos disfuncionais e estados emocionais persistentes, todos possuem suas causas-raízes. Além do tratamento das causas-raízes de cada condição insatisfatória, a TLT dispõe de um conjunto de procedimentos, protocolos e técnicas auxiliares que, integrados, possibilitam as mudanças pessoais das várias condições limitantes.

15. Quais os efeitos de um alinhamento de valores? Os valores são a chave da motivação humana e da naturalidade da vida pessoal. Desalinhamentos nos valores e entre os valores trazem a insatisfação e a não realização em setores inteiros da vida de uma pessoa. O alinhamento de valores elimina os fatores negativos e enfraquecedores que estão dentro de cada valor e organiza a maneira como o conjunto de valores dirige áreas da vida de cada um. O efeito de um alinhamento de valores é a solução de conflitos experimentados em setores da vida pessoal e a facilitação de alcance de objetivos. Como exemplos bem comuns, temos o alívio e equilíbrio das questões de dificuldades profissionais e financeiras, a mudança nos padrões de insatisfação com relacionamentos afetivos e a facilitação da saúde física ou emocional. Pode ser aplicado a qualquer problema persistente que a pessoa apresente.

16.  A TLT é aplicável em crianças? A TLT pode ser utilizada com pessoas de qualquer idade, requerendo do terapeuta a formação especializada naquele público. Existem terapeutas especializados no atendimento de crianças. Para a formação entre em contato conosco. Para atendimentos consulte o diretório com a relação de terapeutas credenciados.

17.  Como encontro um terapeuta formado em TLT para um atendimento? Encontre um terapeuta no diretório de Profissionais deste site, com a relação dos terapeutas licenciados e credenciados com formação reconhecida pela Sociedade de Terapia da Linha do Tempo®.

18. Porque é necessária a formação em Programação Neurolinguística para fazer a formação em TLT? A TLT foi desenvolvida a partir dos princípios, e linguagem usados na Programação Neurolinguística, uma abordagem da Psicologia Cognitiva. Embora tendo uma identidade própria e procedimentos exclusivos, utiliza-se de vários padrões técnicos de comunicação e de mudança sistematizados pelo estudo dos terapeutas excepcionais que foram a origem da Programação Neurolinguística. Assim, para entender os mecanismos de operação das técnicas e sua fundamentação bem como para utilizá-los, aqueles conhecimentos e habilidades são requisitos indispensáveis.

19. Como faço uma formação em PNL para me preparar para a formação em TLT? Que outros requisitos existem? Entre em contato conosco e indicaremos o instituto mais próximo de você que ofereça o treinamento oficial reconhecido que melhor lhe prepare para a formação em TLT. Veja neste site outras informações para a Formação em TLT.

20. Se eu tiver outras dúvidas, como posso obter respostas?  Estamos à sua disposição para todos os esclarecimentos desejados. Entre em contato conosco através do formulário de Contato.

 
Depoimentos

Formei-me Master em TLT e venho utilizando-a desde então como uma das principais ferramentas de meu trabalho, obtendo excelentes resultados e aumento da inteligência emocional dos ver mais . . .
Regina Silva, psicóloga e coach

Veja todos...


Profissionais   Credenciados

Encontre um profissional formado e credenciado mais próximo de você. Clique aqui.


Organização Credenciada

Área dos Profissionais
Login: 
Senha:


 Entrar 




Contato

(48) 9863-3179
ou Formulário de contato.


 facebook   


 Blog (breve)